O blogue "Diário de um sociólogo" foi seleccionado em 2007 e 2008 pelo júri do The Bobs da Deutsche Welle - concurso internacional de weblogs, podcasts e videoblogs - como um dos dez melhores weblogs em português entre 559 concorrentes (2007) e um dos onze melhores entre 400 concorrentes (2008). Entrevista sobre o concurso de 2008 no UOL, AQUI.
Para todas aquelas e todos aqueles que visitarem este diário, os meus votos de um 2017 habitado pelo futuro, pela confiança, pela tranquilidade e pela saúde. Sintam-se bem e regressem sempre a este espaço criado a 18 de Abril de 2006. Abraço índico.
Myspace Layouts

27 novembro 2009

Dubai e porto de Maputo

Há severos problemas financeiros em Dubai (confira aqui e aqui), muita falência prevista (leia aqui), mas Dubai DP World, principal patrão do Porto de Maputo, afirma ter investido USD 32 milhões numa companhia que gere o porto de Maputo. Obrigado ao Ricardo, meu correspondente em Paris, pelo envio das referências.
Adenda: alguém tem conhecimento suficiente para discutir este ponto sensível?
Adenda 2 às 10:46: confira também aqui e aqui.
Adenda 3 às 16:36: leia mais um texto com uma referência a Maputo, aqui.

8 Comments:

Blogger Abdul Karim said...

Acredito,

Mocambique 'e um mercado rentavel para o Dubai,

US $ 32.000.000 nao 'e tanto dinheiro assim, se considerarmos os lucros de atividades nao directas que Dubai tem, apartir dum investimento estrategico dessa natureza.

A maioria de pirataria que mocambique consome vem do Dubai, e o mais rico "empresario de sucesso" mocambicano tem a proviniencia dos seus lucros isentos de cargas fiscais e aduaneiras, apartir do comercio com Dubai, tambem.

27/11/09 10:53 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

"dubaiadas"...
MFMS

27/11/09 11:18 da manhã  
Anonymous ricardo said...

Professor Serra,

O problema é sempre o efeito dominó. Porquanto, a dívida desta empresa é enorme o que tendo em conta a crise mundial, pode provocar ondas de choque escala global. Obrigando ou à retirada do investimento no porto ou ao seu congelamento temporário.

E Moçambique esteve até pouco tempo a viver num "estado artificial" de pujança económica por causa das eleições. Toda gente sabe que em Janeiro, as coisas vão começar a doer. E assim sendo, poderemos ser apanhados por duas e não só uma onda de choque.

Isso é o que para já se pode avançar.

27/11/09 11:19 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Pois é Abdul Karim...

E até o nosso novo sistema informático Fiscal também vem do Dubai...

27/11/09 11:21 da manhã  
Blogger Sir Baba Sharubu said...

Which Mozambique companies are currently exposed to Dubai ?

27/11/09 11:23 da manhã  
Blogger Carlos Serra said...

Não sei, Baba. Mas acho que estamos perante um tema fascinante, eventualmente perturbador.

27/11/09 11:26 da manhã  
Anonymous ricardo said...

Moçambique cada vez mais recuperando a sua antiga vocação de "gateway to hinterland".

Investimento, pois claro, faz sentido o que o sr. Sharraf diz sobre os "takers & makers".

Ele que se intitula um dos poucos "makers" em África, mas como se vê no nosso caso, para ajudar o nosso vizinho a ficar mais poderoso. E Moçambique cada mais amarrado aos "takers" da vizinhança.

Eu que começava a ter esperança nos sonhos do ministro Zucula dos Transportes e Comunicações.

Uma espada de dois gumes. Porque nos mantém amarrados ao ferrete de " economia de serviços" como o são a Maurício, Cabo-Verde ou Curaçao.

Mas estes países também são outras coisas feias no ordenamento financeiro internacional...

E além disso, nenhum dos exemplos acima possui extensão territorial, nº de habitantes, nem os recursos naturais estratégicos inexplorados que Moçambique tem.

Eles não têm outra alternativa, senão serem um ponto de passagem de "takers & makers".

Se o nosso Governo modelar o desenvolvimento do país com o horizonte em : paraísos fiscais e zonas francas, só poderá estar a delirar. Só poderá reflectir a visão urbana que os governantes têm do seu próprio país. Estará a explicação para que a depredação das florestas, mares, especulação de terras, etc, prossiga sem grandes motivos de preocupação?

"Para quêm preocuparmo-nos com isso, se a nossa vocação sempre foi a de "prestar serviços" aos outros? (...)Porque estamos mais interessados em conhecer os índices da Bolsa e outras coisas mais Wall Streetianas."

Só que o país é vasto e há ainda muito chão e muitas gentes ainda por descobrir. Mas só nos lembrarmos disso, quando os patrões adoecem subitamente no Dubai.

28/11/09 11:36 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Os asiáticos especuladores de cachimbos que se preocupem. Para nós outros, é xarope.

28/11/09 3:30 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home